Como a digitalização ainda vai transformar o setor de Saúde

A Inteligência Artificial na saúde se refere ao uso de algoritmos complexos projetados para realizar certas tarefas de forma automatizada. Quando pesquisadores, médicos e cientistas inserem dados em computadores, os algoritmos recém-construídos podem revisar, interpretar e até mesmo sugerir soluções para problemas médicos complexos.

As aplicações da Inteligência Artificial (IA) na área da saúde são infinitas. Isso nós sabemos. Também sabemos que apenas arranhamos a superfície da transformação digital na saúde. Vamos conferir algumas das aplicações que já estão em uso:

Cuidado preditivo baseado em IA

A IA e a análise preditiva nos ajudam a entender mais sobre os diferentes fatores em nossas vidas que influenciam nossa saúde, não apenas quando podemos pegar gripe ou quais condições médicas herdamos, mas coisas relacionadas ao local onde nascemos, o que comemos, onde trabalhamos, quais são os nossos níveis de poluição do ar local ou se temos acesso a uma moradia segura e uma renda estável.

Esses são alguns dos fatores que a Organização Mundial da Saúde chama de “Os Determinantes Sociais da Saúde”. Esses índices permitem aos sistemas de saúde preverem quando uma pessoa está sob risco de desenvolver uma doença crônica, por exemplo, e sugerir medidas preventivas antes que elas piorem. Esse desenvolvimento tem sido um campo promissor no manejo

populacional de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertnsão, diabetes, insuficiência cardíaca congestiva e DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), que são fortemente influenciadas por fatores individuais e também por Determinantes Sociais da Saúde.

Hospitais em rede, atendimento conectado

Junto com o cuidado preditivo, outro avanço está relacionado ao local onde esse cuidado ocorre. O objetivo é que com a saúde digital, um hospital não seja mais um grande prédio que cobre uma ampla gama de doenças. Em vez disso, deve concentrar o cuidado em procedimentos altamente complexos e com doenças agudas, enquanto os casos menos urgentes são monitorados e tratados por meio de centros de saúde, clínicas day-care, clínicas de tratamento especializado e até mesmo nas casas das pessoas.

Esses locais estarão conectados a uma única infraestrutura digital. Os centros de comando centralizados analisarão dados clínicos e de localização para monitorar o fornecimento e a demanda na rede em tempo real. Além de usar IA para detectar pacientes em risco, essa rede também pode remover gargalos no sistema e garantir que os pacientes e profissionais de saúde sejam direcionados para onde podem ser mais bem cuidados ou onde são mais necessários.

Melhores experiências do paciente e da equipe

Por que as experiências são tão importantes? Para os pacientes, pesquisas já comprovaram que a experiência pode ter um efeito direto na melhora ou não. Para os médicos, melhores experiências de trabalho tornaram-se cada vez mais urgentes – eles agora sofrem enormes taxas de esgotamento, principalmente causado pelo estresse de tentar ajudar muitos pacientes com poucos recursos.

As redes de saúde preventiva com tecnologia de IA ajudarão a reduzir os tempos de espera, melhorar os fluxos de trabalho da equipe e assumir a carga administrativa cada vez maior. Quanto mais a IA é usada na prática clínica, mais os médicos confiam nela para aumentar suas habilidades em áreas como medicina preventiva e diagnóstico.

Os benefícios da IA

O potencial da IA é fenomenal. Na pesquisa, poderia ajudar a agilizar a maneira como os medicamentos são desenvolvidos, de modo que os tratamentos, tanto para doenças novas quanto antigas, sejam desenvolvidos mais rapidamente. De modo geral, a IA é utilizada para:

· Fornecer diagnósticos rápidos e precisos que podem ser impossíveis de detectar apenas com a inteligência humana

· Limitar os erros cometidos como resultado da fadiga humana – afinal, os médicos atendem centenas de pacientes por semana, e essa pode ser uma quantidade exaustiva de informações para trabalhar

· Avaliar a genética humana individual para criar planos de tratamento verdadeiramente personalizados no campo da saúde. Isso significa escolher os medicamentos e a reabilitação que melhor se adaptem à sua composição genética

É importante ressaltar que a IA e a tecnologia na saúde não se destina a substituir os médicos. Em vez disso, o objetivo é aprimorar as capacidades que os profissionais médicos já possuem e preencher as lacunas em suas habilidades.