Como fazer automação no campo da medicina

A tecnologia nos campos das ciências da vida e da medicina está em constante evolução. Novas técnicas tornaram possível terapias mais eficazes e os avanços na pesquisa levaram a soluções mais econômicas para doenças que antes eram consideradas muito caras para tratar.

Um dos aspectos mais interessantes da evolução da transformação digital na saúde é o envolvimento cada vez maior da automação em várias operações médicas, particularmente em diagnósticos. Até pouco tempo, os exames diagnósticos essenciais dependiam de procedimentos manuais. Embora os métodos convencionais tenham obtido certo grau de sucesso, eles são prejudicados por certas limitações. Por exemplo, o teste manual de amostras é lento e sujeito a erros causados pelo julgamento humano. A automação na saúde ajuda a eliminar essas limitações para obter resultados mais precisos em menos tempo.

As etapas da automação

E como a Inteligência Artificial ganha espaço no campo da medicina? Ainda hoje, muitas tarefas são realizadas sem a intervenção de soluções de IA, com processos feitos manualmente, o que seria considerado o primeiro estágio da automação na saúde.

Em uma segunda etapa, a IA atua como uma assistente, e oferece suporte aos médicos na tomada de decisão por meio de sugestões. Por exemplo, após escanear um banco de dados de tomografias computadorizadas de tórax, a IA considera os resultados da tomografia computadorizada de um paciente sendo investigado e destaca os sinais suspeitos. Esses sinais são então investigados pelo médico.

Quando se chega no estágio da automação parcial, a IA pode apresentar seu próprio diagnóstico, mas ainda consulta o médico.

Já em uma hipotética fase da completa automação (que está muito distante e talvez ocorra apenas em uma pequena fração de situações), uma solução de IA poderia analisar um exame radiológico por conta própria e solicitar testes subsequentes sem consultar um médico humano para essa decisão.

Vantagens e desvantagens

Existe uma grande divisão entre os argumentos das vantagens e desvantagens que a introdução da automação resulta no campo da saúde. Os proponentes argumentam pelas vantagens que a introdução da automação traz, enquanto os oponentes levantam preocupações sobre a perda de empregos devido à implementação da automação.

Apesar da imagem distópica pintada pelos pessimistas, o futuro da saúde definitivamente não envolve a substituição do pessoal de saúde por máquinas e o tratamento oferecido por robôs zunindo pelos corredores do hospital.

Na realidade, a automação na área de saúde tem o potencial de aumentar a eficiência do atendimento ao paciente, reduzir os custos associados à prestação de saúde, usando tecnologia para automatizar as tarefas repetitivas, liberando o tempo dos profissionais de saúde, permitindo que eles se envolvam em tarefas mais cognitivas. Vale ressaltar que a automação cobre partes do processo diagnóstico ou de cuidado, não sendo capaz de cobrir todas as suas facetas, sempre havendo funções que somente os humanos podem desempenhar.

Conforme o setor se transforma de um modelo de serviço para uma abordagem baseada em resultados e orientada para o valor, a importância da automação torna-se maior do que nunca. Some-se a isso o rápido envelhecimento da população e o aumento do custo da mão de obra, e a importância da automação do processo robótico torna-se ainda mais evidente.